Momento Imperativo

Quantos pseudônimos damos à tristeza?
Qual verbo devo conjugar para ela sumir?
Até que ponto vou ser sujeito subordinado do passado?
Vivendo à sombra de uma ironia
na qual a vida sempre sorria,
desfrutando dessa metáfora e dos ditos “populares”.
Ah… quem dizia que; há mal(r)es que vem para o bem,
nunca nadou sem se afogar!

Letícia Simões

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s